sexta-feira, 24 de novembro de 2006

A luz da varanda e o sol.

10 Agosto 2005Hoje foi mais um dia...
A CPI rolando, Marcos Valério, com aquela cara de minhoca que se perdeu, falou o dia inteiro; meu pai fez uma transfusão de sangue, a amiga da minha sobrinha teve um derrame aos 20 anos, meu amigo está com febre achando que é varicela, meu outro amigo está com dor de cabeça, eu fumei uma carteira de cigarro inteira, a filha de uma amiga foi rejeitada pelo seu amor na festa de 15 anos, achei um ex-namorado no Orkut e ele namora uma mulher feia.

O mundo funciona de forma estranha.
Enquanto eu tento sonhar e escrever uma história digna de ser reconhecida como a maior história de amor do terceiro milênio, a terra está se esfacelando, a água vai acabar na Europa em 30 anos, o Iraque está arrasado e a Angelina Jolie consegue fisgar o Brad Pitt e se muda com ele para a mansão dele em Los Angeles!

É muita gente...é muita coisa acontecendo ao mesmo tempo...um caos!
É difícil manter o alto astral, o bom humor, o positivismo, o escapismo ou chamem o meu sorriso do que quiserem.
A essa altura eu não posso deixar meu sorriso morrer. Tem muita gente precisando dele!
Tenho que ver o mundo caindo e poder sorrir para o meu pai dizendo que vai ficar tudo bem. Tenho que dizer pra minha mãe que tudo vai melhorar. Tenho que ir na aula de patinação artística da minha filha e, mesmo vendo a dificuldade dela, sorrir e dizer YEAH!! Que linda! Tenho que ajudar meu filho a ser perseverante. Tenho que sorrir pro meu amigo amado e não deixar que ele pense em coisas que são ruins pra ele. Tenho que tranquilizar o mundo e mostrar as fadas madrinhas, as borboletas, as estrelas cadentes e o sol que vem vindo.
Pra isso eu também preciso do sol!
É como um vampiro que eu busco por aí meus raios de sol. Mordo um pescoço aqui, outro ali, aproveitando uma distração, um sorriso sem querer, e assim vou me enchendo de energia.
Vampira! Aproveitadora! Às vezes é preciso gente demais. São vítimas e mais vítimas...Mas às vezes a luz é tão forte que me cega!
Nas três últimas semanas tomei uma overdose de sol. Estou cega e recarregada. Uma luz gigantesca chegou de onde eu não esperava. Como mágica, uma lâmpada comum acesa ali no cantinho tornou-se a mais poderosa fonte de energia, inspiração e alegria que jamais tocou a minha alma. Claro a alma! Os vampiros comuns alimentam o corpo, mas esse não é o meu caso.

Eu procurei tanto por isso que cansei. Tenho até medo de dizer que encontrei. Mas isso é tão grande que se confunde, me embaralha, o lugar das coisas não é mais o lugar das coisas.
Se eu tivesse vinte e poucos anos talvez confundisse tudo e dissesse que encontrei o homem da minha vida. Mas de novo? Quantos homens cabem nessa vida? O homem da minha vida eu sei quem é! Se eu tivesse 15, seria o meu príncipe encantado. Se eu tivesse 70 diria que conheci alguém que se parece comigo aos 20. Se tivesse 30 ia fazer uma bagunça danada...enfiar os pés pelas mãos, transar com o homem errado, querer controlar a vida dele e perder o meu melhor amigo (mais tarde ia me dar conta e cortar os pulsos.)

E aos 43, mesmo tendo que fazer um esforço enorme para manter o foco na imagem certa, mesmo tendo esse coração desvairado débil mental, eu consigo ver as coisas de uma forma mais exata, embora complicada demais para explicar.
Eu não encontrei um príncipe encantado embora ele seja um. Não encontrei o homem da minha vida embora ele seja digno do título. Não encontrei um namorado embora a futura namorada dela vá, provavelmente, me odiar. Não encontrei um amante e nem posso casar com ele: Eu encontrei uma pessoa rara. Um unicórnio.
Unicórnios não têm título, não têm lugar definido, não têm posição a ocupar. Unicórnos reinam absolutos e trazem luz.
Não preciso ser vampira, porque não é preciso roubar de quem troca e doa. Não é preciso correr. Não é preciso pedir. Não é preciso nem querer... Só estar lá... Existir. Porque ele preenche todo um espaço que não existia. É maior do que o todo. Maior do que o tudo. É muito antigo. É como se tivesse sempre estado lá...Apenas se fez vizível.
...

I'm blessed.
Meu sorriso permanece iluminado.

Bom dia.

10 comentários:

Marilia disse...

Valeu á pena tentar esperar!!!
Cai da cama e vim correndo ler!!!
Lindo!!!
Beijos!!!

Marilia Lopes 10.08.2005

edson disse...

Me, coisa mais boa te saber com o sorriso alimentado de luz. É bom pra vc, pra quem tá do teu lado e para os teus textos. Yes, you are blessed!

Edson Perin 10.08.2005

Eduardo Orlandini disse...

Maravilhoso como sempre!
Sou teu fã... já disse!
Como é bom ler e sentir como se alguém estivesse bem próximo lendo pra gente!
Beijos

Eduardo Orlandini 10.08.2005

Chris disse...

Sou cético em quase toda minha totalidade. Daqueles que querem ver com os olhos, que precisam tatear a verdade para acreditar nela. O que segura minha incredulidade de tornar-se plena são essas luzes. Unicórnios que surgem sem aviso prévio. Páram, te contemplam, te cheiram, te fazem companhia por um tempo, e se vão. Por que, então, dói tanto estar perto de tal criatura imaculada? Porque sabemos que não poderemos tê-lo ao nosso lado para o clichê-romântico sempre. Unicórnios sempre serão inalcançáveis: ou pelos seus ideais, ou pela distância física tão grande, ou até mesmo pela idade. Não importa. São unicórnios, e nós sabemos que são.
Resta a dor.

Chris 10.08.2005

Ari disse...

Mê... pára com isso, tá!!!eu não aceito que uma vidente,escritora na horas de folga, fique lendo a minha alma e expondo ela desse jeito ao domínio público. Pelo amor de Deeeeeeeus..., que coisa maravilhosa e mais Aribiográfica. Você realmente é demais
bjs no seu coração.

Ari 10.08.2005

Lí disse...

Vc realmente consegue enxergar a alma das pessoas...é iluminada e acredite, essencial pro dia a dia de seres como nós...carentes de seres tão humanos.
Parabéns por suas idéias...
Beijo...

Lí 12.08.2005

Chris disse...

Você faz idéia do que é ler seu texto (estou convencido de que este é um amor platônico) e depois, passo a passo: abrir o orkut; aceitar o convite de um amigo; na página dele, entre as 9 comunidades visíveis no quadradinho, "amores platônicos"; já na comunidade, a primeira foto, o primeiro membro: laura; dentro de seu fotoblog, logo que loaded, "and so it is..." (note que seu blog permaneceu aberto, mas ainda não havia começado o jukebox). Como contemplar Laura, naquelas fotos, com essa música, após ler seu texto, e permanecer cético?? Essas coisas acontecem mesmo? São normais? Você é normal?


... o anjo: http://www.fotolog.net/laaura

... o outro: você. Chris 12.08.2005

Mercedes Gameiro disse...

Chris,
eu entrei no fotolog da Laura e não tem música lá..
A música é daqui mesmo. Ela toca aqui. Demora um pouco mas toca.
Eu procurei a frase, a letra, o link, qualquer coisa pra música, mas na na não...

Adoro os seus comentários.
Thank you very much for all of them.
Mas põe um e-mail válido pra eu poder reagir, please.
Beijos

Mercedes 13.08.2005

Chris disse...

Você não entendeu: ler seu texto; "amores platônicos" do nada; dentro, ela; essa música que dói, começando assim que o fotolog gets loaded; aquele anjo... tic-tac-tic-tac, tudo right on time. Só eu estou vendo isso?
Como blog não é chat, I´m done.

Parabéns, Mercedes.


Chris 13.08.2005

Thyago disse...

Quando vi 12 comentarios eu fiquei realmente curioso pois apesar de ter lido o texto 2 vezes não o compreendi... mais lendo os coments ficou bem claro a noção amor platonico... hihihihi... acontece... talvez passe talvez perdure por muito tempo... e curti a sua firmeza quanto as atitudes dos 20 anos pois acho que eu faria o mesmo!!!

PS: quanto ao grande romance do 3 milenio acho que não falta muito pra voce chegar nele não é uma questão de voce olhar a sua volta!!!


Thiagota0 16.08.2005